Hospitalização Domiciliária

O Hospital de Santarém assinou, no passado dia 3 de outubro, juntamente com outros 22 Hospitais, um protocolo com o Ministério da Saúde no âmbito da Estratégia Nacional para a Hospitalização Domiciliária. Assim, e de acordo com o que foi assinado, no primeiro semestre de 2019 a implementação da Unidade de Hospitalização Domiciliária no nosso Hospital será uma realidade.
Integrando uma visão mais ampla, com base num sistema de saúde centrado no cidadão, esta Unidade fará parte integrante da estratégia deste Hospital que permitirá, num contexto de alteração progressiva dos padrões demográficos e epidemiológicos da nossa população ribatejana, gerir de forma eficiente e eficaz o aumento tendencial da despesa global no sector da saúde e, simultaneamente, promover uma maior equidade, acessibilidade e humanização dos cuidados de saúde prestados aos nossos utentes.
Neste sentido, libertando camas ao nível do internamento, minimizando as infeções associadas aos cuidados de saúde em meio hospitalar, mantendo o foco na excelência da qualidade dos cuidados prestados, a hospitalização domiciliária surge como uma solução que permitirá quer ao doente, quer à família, um maior conforto e humanização dos cuidados e uma maior racionalização dos gastos em saúde.
A Hospitalização Domiciliária, surge como uma redefinição dos processos de cuidados em saúde levando a uma estreita colaboração entre os vários intervenientes, desde os Centros de Saúde, os Hospitais e a rede nacional de Cuidados Continuados Integrados.
A Unidade de Hospitalização Domiciliária do Hospital de Santarém contará com uma equipa multidisciplinar e, numa fase inicial, irá abranger a área da União de Freguesias da cidade de Santarém num total de 30.000 habitantes, assistindo os utentes com necessidade de internamento que reúnam critérios específicos relacionados com o diagnóstico, tratamento, enquadramento geográfico e familiar.
Terá uma lotação prevista de 6 camas no primeiro ano, o que resultará na assistência a cerca de 233 doentes, prevendo-se o aumento da lotação para 15 camas, após a avaliação dos indicadores de produção nesse período. O acompanhamento clínico será realizado diariamente por uma equipa médica e de enfermagem, em presença durante o período diurno, e em regime de prevenção no período noturno.
Os investimentos em recursos humanos e equipamentos necessários para a implementação desta Unidade já estão definidos e, em grande parte realizados, sendo que contratualização com a ARSLVT permitirá garantir o início da sua atividade de acordo com o planificado no protocolo assinado com o Ministério da Saúde.